NOTÍCIAS

MAIS NOTÍCIAS

Xadrez da Economia, por Roberto Soriano


Publicado em 14/07/2016

Já estamos praticamente no meio do ano, um verdadeiro tabuleiro de jogo de xadrez.  O primeiro semestre praticamente se foi,  a tendência, na minha humilde visão, deverá  ser mais calma, uma motivação pequena mas que pode ajudar. No aspecto positivo, uma nova maneira de ser da ordem, já está silenciosamente começando, se alterando, a realidade está mudando e com ela pedindo para que todos, de maneira individual ou coletivamente, possam compreender e tentar mudar também, tentar esquecer o pessimismo que tanto tem prejudicado a todos.

 

Após todas as "intempéries", uma pausa pequena, será para acalmar e colocar a casa em ordem, com trabalho, organização, estruturação e algum esforço, afinal sem disciplina e direcionamento não iremos entender o que está realmente mudando. É um momento de construir e solidificar uma nova consciência sobre tudo que nos cerca, de despertar para um novo crescimento, de  buscar "o que realmente importa",  olhar para dentro de sua empresa, de forma criteriosa e objetiva. Enfim algo está batendo à porta de todos, para que se preste  atenção ao que está acontecendo a  volta de todos, indistintamente.

 

Não se deve esquecer  também, que essa situação trará certas restrições, mas por outro lado, exigirá mais controle e planejamento de todos os passos, pois esse é um   campo “minado”, onde pisar em falso poderá mudar uma pedra do jogo e que isso poderá ser fatal, todos terão que ser fortes, destemidos e acreditar,  ganhar esse jogo, não será o primeiro e nem o único jogo, outras crises foram vencidas, onde a diplomacia foi o meio de sobrevivência, aprendeu-se a fazer concessões, a dar e receber, mas com um sentido de dever acentuado e muita responsabilidade.

 

Toda esta regência caminha em uma só direção: a do desenvolvimento e a sua evolução, portanto, o trabalho, a austeridade, o direcionamento, a retidão, também serão exigidas. Neste período, devem abrir a consciência para ver os objetivos  que estão por traz deste momento,  eles irão ajudar a entender, a aprender sobre como enfrentar o que novamente se apresentam através dessa nova crise.


Situação que  faz com que possam fortalecer o suficiente para enfrentar o que vier pela frente, pois de certa forma as empresas estão doentes, necessitando de auxilio nos processos de cura, remédios que no momento estão em  falta, para rápida  recuperação, um diagnostico a fim de que  possam compreender  "porque" adoeceram,  o que  fazer por si mesmo para  curar, tentar alguns recursos com sabedoria e muita cautela para não dar um passo errado, em tomadas de decisões, com posicionamentos firmes, uma vez que a situação é bastante critica.


Enfim, esse na verdade é um momento crítico  na economia que atinge em cheio as empresas, portanto é importante   toda  cautela e muita concentração olhando  para dentro da sua empresa, pois ali se concentra uma boa parte da solução para saída e da sua recuperação,  uma tentativa pela  volta do crescimento, sobretudo procurar entender que este é o caminho, não existe um "remédio" ou genérico, mas sim uma atitude de mudança interior, onde estarão os seus melhores clientes, clientes que dão preferência pela qualidade do seu serviço, procurar  unir-se a eles,  ser solidários,  pois todos estão passando  pelas mesmas situações, sendo esta uma das alternativas, existem muitas outras.   

 

Bem, este artigo tem como objetivo ressaltar a todos esses empresários, valentes, heróis, que não desistem facilmente, congratular, homenagear, cumprimentar enfim tentar retribuir com motivação e nunca desanimar, pois sem essa vontade de continuar a lutar e evitar mais desempregos, mais problemas na nossa economia,  que certamente afetará a todos indistintamente.

 

Força “heróis do desenvolvimento industrial do nosso País” empresas que geram emprego e renda para todos.

 

Parabéns pelo Dia da Indústria, 25 de maio, e aos dinâmicos empresários.

 

Roberto Soriano é gerente-administrativo do Simespi.