search

Empresários buscam dados sobre inclusão de deficientes

21 de fevereiro de 2006


A diretoria regional da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), em Piracicaba, reuniu empresários e secretários de municípios da região para participar do seminário “Inclusão de Pessoas Portadoras de Deficiências no Mercado de Trabalho”, nesta segunda, 20, no auditório do SIMESPI.

O objetivo do encontro foi ampliar informações sobre a lei 8.213/91, que prevê a contratação de um percentual de funcionários portadores de necessidades especiais.

Para falar sobre o tema, o Fiesp trouxe para Piracicaba os especialistas Helvécio Siqueira de Oliveira, diretor da Escola Senai da cidade de Itu, e Gelson Inácio dos Santos, portador de deficiência visual e professor e instrutor de treinamento da mesma unidade, especializado em orientação a portadores de deficiência visual.

Os especialistas atuam na unidade de Itu, considerada referência nacional na capacitação de deficientes para o mercado de trabalho.

Segundo Marlene Tobaldini, diretora regional titular da Fiesp Piracicaba, os kits com programas de informática com adaptação para deficientes visuais já foram trazidos para Piracicaba e agora outros cursos poderão ser oferecidos, dependendo do interesse dos empresários e dos deficientes que estão no mercado. “O Senai tem consultores para adaptar o trabalhador à empresa”, diz.

A diretora diz que os empresários estão com dificuldade de localizar deficientes para contratar. “Em reunião recente, o prefeito Barjas Negri (PSDB) se mostrou interessado em centralizar um cadastro único para disponibilizar as informações às empresas”.

De acordo com a lei, empresas com até 200 empregados devem reservar 2% das vagas para deficientes; de 201 a 500 3% das vagas; de 501 a 1.000 4% e a partir de 1.000, 5% das vagas.